A importância em P&D de baterias.

Temos observado um amplo investimento mundial em pesquisa e desenvolvimento de inovações em diversos tipos de aplicações das baterias no que tange a preço, recarga e autonomia. É o maior gargalo no que tange a sua aplicabilidade e ajudar a disseminação do automotivo elétricos. O meio ambiente é um dos beneficiados em caráter prioritário. No que tange às energias renováveis, a geração fotovoltaica surge como protagonista, tanto off e on e, sem reversão, a geração distribuída. Que as distribuidoras e concessionárias ajam mais proativamente para a sua importação disseminação e, novamente, a natureza é uma das grandes beneficiadas!

Um movimento irreversível.

Um movimento irreversível: O mês de novembro viveu uma semana das mais importantes para conter as mudanças climáticas com a conferência realizada no Egito. A dicotomia persiste entre os considerados países de grande desenvolvimento e os que ainda estão num estágio de que grande parte de suas populações se situando no limiar da pobreza extrema. O mundo está atingindo uma população de 8 bilhões de seres humanos dos quais em torno de 1bilhão são submetidos a esse quadro de dantesca e injusta miséria. Desvinculando-se dos aspectos transcendentais, os quais são focalizados com especial propriedade por instituições que cuidam desse tema de relevância, de cunho religioso e filosófico espalhadas por grande parte do mundo, urge que as Nações e toda a sociedade se conscientizem da necessidade premente do rompimento desse triste paradigma. Ninguém vem a esse mundo premido do direito à felicidade, mesmo que relativa, embora devemos saber que não viemos e vimos a esse planeta para vivermos no resort e também sabemos que é um assunto de grande polêmica. As agruras são inerentes e ninguém está livre, mas podemos vê-las como oportunidade para crescermos, obviamente, desvinculado de qualquer espírito de um masoquismo doentio. Além da fome escandalosa que afronta a dignidade humana, a e elevação da temperatura do planeta Terra aparece como uma prioridade protagonista e deve ser limitada aos 1,5 graus Celsius até o final desse século, sob pena de efeitos climáticos com um caráter irreversível. Como sempre, as maiores vítimas serão as populações pobres ribeirinhas e a ilhotas situadas nos diversos oceanos. Como exemplo indelével devido a esse sobreaquecimento, como repor as geleiras nos polos terrestres que estão se derretendo? As pesquisas puras e aplicadas sabemos que são importantes para o conforto material das pessoas e seria redundante apontá-las nos diversos campos das ciências ligadas à Natureza; aspectos econômicos, sociais e da tecnologia no sentido lato sensu, mas providos de uma responsabilidade com a preservação ambiental pois, ainda por enquanto, o minúsculo planeta Terra é ainda o nosso único lar. Saída tecnológicas já amplamente dominadas estão à disposição e podemos elencá-las: Uso e preservação responsável das florestas e matas disponíveis, com destaque a nossa Amazônia; transitar para uma produção industrial amigável, ou seja, neutra com referência aos gases responsáveis pelo aquecimento global, tendo como exemplo os automotivos elétricos que, felizmente, estão se disseminando de forma auspiciosa; ampliação da capacidade instalada das energias alternativas e renováveis. Tais como a eólica; a solar; a biomassa; a energia das ondas e das marés; as células combustíveis; as pequenas quedas d’água, praticamente, isenta de inundações de áreas preciosas para a subexistência de populações vizinhas e muito carentes, como é a tônica; o campo é vasto e desafiador. Como uma outra citação fantástica do desenvolvimento tecnológico citemos a baterias quânticas que poderão ser carregadas em questão de minutos. Portanto, o mundo espera que os importantes chefes de Estado não fiquem patinando em  discursos com promessas vãs e vençam, digamos, a quase inércia, sem radicalismo, ainda predominante. Um dos grandes predicados de um ser humano e/o de uma coletiva é ser desprovidos de um egoísmo inconsequente. Não podemos esquecer que novas gerações virão.

O mercado chia!

É evidente que esta fixação do sr. Bolsonaro em baixa os preços dos combustíveis objetiva obter dividendos para as eleições majoritárias e proporcionais que se avizinham. Como ainda do dono da chave do cofre do governo federal, pretende, desmesuradamente abri-lo, mesmo que venha , ele, ser reeleito, o que parece pouco provável, e sofrer as consequências de tamanha irresponsabilidade. Sem sofisma, o petróleo, como commodity, tem o seu preço estabelecido pelo mercado Spot de Rotterdam, na Holanda, e em  dólar, situação agravada ainda mais pela dependência que temos da gasolina e, sobretudo, do óleo diesel. Nesse contexto, o que não pode existir é artificialismo, porque o mercado, tão decantado pelo seu ex-posto Ipiranga, esperneia. Por último, avance no orçamento secreto que para si será mais eficiente. Haja coragem!

Um prioridade inadiável!

Precisamos cada vez de empresa que investem em P&D, pois com esse procedimento ela adquire as condições necessárias e suficientes para se perpetuar no mercado que, todos sabemos, tem um competitiva cada vez mais acirrada e, por consequência, o grande beneficiado é o cidadão que deve ser, sempre, o cliente preferencial de qualquer negócio, parecendo essa afirmação óbvia e redundante, mas sempre bom salientar. No nosso país, embora haja progressos nítidos através de organismos de defesa do consumidor ainda carece de maior proteção. O mercado de geração fotovoltaica vem apresentando um volúpia extraordinária e nós somos privilegiados no segmento, como também nas fontes de cunho alternativo e renovável. Precisamos e hora de deixarmos de ser um Nação estranha e saibamos aproveitar o máximo o que mãe Natureza nos legou.

Cara é a ignorância!

Chega a ser risível a alternativa dada pelo Editorial de OGlobo sobre a polêmica da cobrança de mensalidade nas Universidades Públicas e Gratuitas quando trás à baila a comparação com a Austrália, cujo pib per capita oscila em torno dos 60000 USD. É como fazê-la os “alhos com bugalhos”. Todos sabemos que no Brasil quem faz pesquisa é a pública, com rara exceção das católicas. Há que se registrar que “a famigerada” cobrança não será a solução para a carência, sobretudo, das pesquisas no nosso país. É sugestão de quem trata o assunto como se fora próprio de uma contabilidade tradicional. Bem dizia, Leonel Brizola, respondendo numa debate ao FHC. “ Caro é a ignorância”. Será que estamos condenados, ad perpetuam” a sermos pagadores de royalties? Pesquisa não se faz com tostões!

Um futuro promissor!

É evidente que a geração solar vive um momento especial e possui caracterísitcas que a faz ser bastante atraente técnica e economicamente, mas o risco pela falta de estabilidade nos nossos parâmetros financeiros e econômicos deixa a todos sempre com uma certa cautela em investir no setor, embora o decreto 14300 já sinaliza bons ventos nos próximos anos. Quanto à tecnologia das inovações são frequentes nos principais componentes do sistema solar, como nos módulos que vêm aumentando consideravelmente nos seus rendimentos. A notícia fake news sobre geração à noite não prosperou. Oas inversores híbridos dominarão o mercado e para as baterias já estão havendo pesquisas no que tange às quânticas que no futuro serão capazes de serem carregadas em pouco minutos. Será um avanço extraordinário, sobretudo, para os automotivos elétricos com a incorporação de módulos solares. Os fios e cabos elétricos também apresentam boas novidades em suas especificidades para a geração fotovoltaica tanto nos aspectos de isolação, perdas elétricas, gradientes de potenciais e outros fenômenos elétricos inerentes. Estudam-se também as chamadas capacitâncias parasitas que aparecem e cuja proteção contra os seus efeitos nocivos já há inversores que a têm incorporado no seu fabrico. Enfim, como todos sabemos, o futuro é muito promissor e esperamos que os nossos governantes e representantes no legislativo influenciados pelos lobbies não coloquem entraves para a sua disseminação. Engeheiro, professor, mestre em ciências de engenharia elétrica-sistem de potência – COPPE/UFRJ, consultor projetista em eficência energética e geração fotovoltaica.

Uma visita relâmpago!

Sem preconceito a quem ganha dinheiro de forma honesta e, sobretudo, para empresários que tenham uma visão social, a visita relâmpago do senhor Elon Musk, considerado o homem mais rico do mundo, gera evidentemente uma série de especulação, até porque pelo inesperado acontecimento que, tudo indica, fora guardado à sete chaves. Pela recepção que teve e recebido com pompas e elogios pelo presidente da República há que serem esclarecidos e divulgados amplamente os motivos que o trouxeram aqui. Alguns que saíram já geraram estranhezas, por exemplo, o que não nos falta é estrutura de satélite para vigiar a tão “cobiçada” floresta Amazônica, tanto interna e externamente, sendo que esta deve ser motivo  de preocupação das autoridades e da sociedade brasileiras, independente da coloração partidária.  Verdades e mitos existem aos montões sobre as Amazonas,como ser o pulmão do mundo. Será verdade isto? Ou não contraria o equilíbrio da sabedoria da mãe Natureza? O debate continua. 

A minha modesta ótica sobre a vida material e espiritual!

Para os seres humanos encarnados cada instante que se vive sempre tem uma valia inestimável. Aqui somos todos aprendizes de uma escola que precisa aceitar a diversidade porque é enriquecedora. Até porque cada um traz um cabedal de experiências passadas cujas características são sempre peculiares. Dessa forma, se processa a nossa tão almejada evolução espiritual. Não podemos confundir sucesso material com o espiritual, embora não haja incompatibilidade entre os dois, desde que as Leis Naturais e Imutáveis, as quais não preceituam nenhuma discriminação, sejam respeitadas  e todos na nossa estada possamos vislumbrar  um conforto material, sem exagero,  e saibamos dividir com os nossos semelhantes, que, em princípio, também merece desfrutá-lo. Enfim, a felicidade, na ótica lato sensu, é um direito de todos, portanto, nesse tema não se pode ter uma ótica egoísta . O Racionalismo Cristão (RC) propaga de forma exaustiva e ao qual somos signatários, o lema que em essência todos somos irmãos. Todos somos providos de atributos enaltecedores, uns mais e outros menos. A lapidação deles se dá através da busca incessante e escorreita de vidas aqui nesse planeta escola, por conseguinte, de aprendizado. Pretensão de perfeição não é lugar nesse nosso ambiente. Ou seja, tudo bem coerente e de acordo com as Leis Naturais e Imutáveis e com aderência ao processo evolutivo de todos nós. O direito de sonhar é amplo e irrestrito e como a utopia é o combustível de sonhar grande, haverá um dia que os dogmas das ciências que estudam a espiritualidade será um lugar comum no Planeta Terra, muito embora, como na história, a evolução espiritual não aceita saltos e segue o mesmo princípio. Mas, não há motivo para quaisquer posturas que nos conduzem ao desânimo, porque a estrada dessa evolução, seja ela íngreme ou mais suave, deverá ser singrada. Ter clareza de pensamentos para o bem representa o limiar das nossas ações meritórias. A disciplina para tal tem um valor inestimável. É certo que estamos acumulando um cabedal e um patrimônio espiritual, cujo conforto e alegria ajudam a perpetuar crédito para a nossa preciosa evolução que deve ser, sempre, o objetivo primordial e final de todos os seres encarnados. O RC  mostra de forma clara e que representa um axioma, a relação de causa e seus efeitos que se processa tanto na vida material como espiritual. Podemos designá-la como um artigo pétreo das Leis Absolutas Naturais e Imutáveis. Estas são blindadas a qualquer tipo de privilégio. Todos somos iguais perante a elas e que não propagam o atrasado conceito de destino e castigo. A égide que orienta o ser humano é do livre-arbítrio por questão de coerência. Não existem armadilhas na nossa caminha como encarnado e a eternidade do espírito. Às vezes temos a mania de culpar outrem pelos nossos fracassos. É evidente que a  ótica da solidariedade deve também ser uma das tônicas que deve prevalecer nas relações humanas, sem ser um incentivo a indolência. Um mundo está cheio de exemplos altruísticos de pessoas e instituições de ajuda humanitária. desnecessário se torna citá-los pois a lista é imensa, mas o RC, de maneira desprovida de qualquer alarido, cumpre, exemplarmente, essa função social no campo material e espiritual. Haverá um dia que a sua filosofia terá um considerável número de adeptos, embora a quantidade não pode secundarizar a qualidade. A prática da vida no campo terreno nos mostra que o ser humano precisa estar sob o controle de leis para cumprir determinados preceitos para que, muitas das vezes, seja impedido de cometer atos de violência contra o semelhante. É comum passar ileso a essas leis, mas nas Leis Naturais e Imutáveis não existe essa possibilidade pelas óbvias características que a ninguém concede favorecimento. O mundo Terra habitado por seres falíveis que aqui estão para adquirir a tão desejada e almejada evolução espiritual estão sob o crivo das tais leis. É preciso que tenhamos a clareza que a nossa estada representa um estágio de desenvolvimento espiritual que nos dá uma mensagem que não há superioridade de um ser sobre o outro. Somos o que atualmente podemos sê-lo e desprovidos de privilégios. O merecimento é de cada um. A lógica da vida espiritual não necessita de avalista em qualquer campo que estejamos. É algo belo para ser admirado, sem fanatismo e sim com a prevalência da racionalidade.

Uma guerra de versões!

Nós, simples mortais, temos que acreditar no noticiário veiculado pela imprensa que supomos isenta e, portanto, aderente à verdade. O ex-presidente Lula deu uma entrevista para a Time, o que não é pouca coisa, quando afirma que Zelenski também tem culpa “no cartório”, nesse conflito contra a Rússia que ocupa grande espaço nas mídias internacionais. Segundo ele, a União Europeia e os USA, que são os negociadores protagonistas, até o momento não encontraram um denominador comum que, por conseguinte, atendesse os interesses das duas partes; Rússia e ucrânia.. Por tabela, cita a OTAN. O que todos sabemos, é que numa guerra onde morrem inocentes desde de criança a idosos que, inclusive, servem de escudos humanos, não há, na acepção do significado, vitoriosos. Permita-nos uma indagação! O que é mais impactante, um entrevista dada a uma revista de grande penetração internacional, ou uma visita de um presidente à Rússia à véspera de uma de uma invasão a uma outra Nação? Não faltaram conselhos contrários.

Uma data magna!

Exemplos não nos faltam de políticos com a capacidade de articulação da fala com um discurso apropriado para cada tipo de platéia capazes de convencê-la (iludi-la), sobretudo, os mais incautos que estão à procura em achar um salvador da pátria e que possa resolver as suas demandas mais prementes. É a famosa figura do paizão, criado desde a era getuliana. Aqui é que está posto o grande desafio  para o eleitor! É a famosa separação do joio do trigo! Saindo dessa vocação que poucos a possui, transitamos para era dos marqueteiros, figura, nos tempos atuais, alçados como um dos protagonistas ou vilões do sucesso ou do insucesso do alcance dos objetivos planejados. Esses instrumentos são todos válidos, desde que estejam sob a égide e obediência à nossa lei maior, que é a Constituição Brasileira, tão vilipendiada nos atuais momentos que antecedem o marco maior de uma regime democrático, que é a decisão soberana do eleitor em escolher os membros de dois importante poderes que governarão e legislarão o destino da Nação.